Revista Primeira Página

Indústrias apostam em desenvolvimento sustentável

Iniciativas no Polo Petroquímico de Camaçari mostram que  preocupação socioambiental faz parte da rotina das empresas

A atuação de empresas visando o respeito ao meio ambiente se tornou uma das melhores consequências da globalização. A elevada competitividade motivou o aprimoramento técnico das indústrias e, consequentemente, desencadeou uma preocupação cada vez maior em reduzir o impacto ambiental produzido pelos frutos desse desenvolvimento. A partir daí, surge a noção de “indústrias verdes”, com grandes empresas envolvidas na busca de soluções sustentáveis de crescimento.

Engenharia ambiental

Durante algum tempo, a geração de poluentes pelas empresas era entendida como uma consequência inevitável dos processos industriais, contribuindo para uma degradação ambiental acentuada. Na tentativa de controlar as ações de descartes dos resíduos das indústrias, empresas como a Cetrel S.A. iniciaram operações no sentido de resgatar uma preocupação maior com as ações sobre o meio ambiente. Desde 1978, a Cetrel opera com serviços de engenharia ambiental, sendo responsável pelo gerenciamento ambiental do  Polo Industrial de Camaçari – PIC.
De acordo com o diretor técnico, Demosthenes Carvalho, a Cetrel opera Sistemas de Controle Ambiental como o Sistema de Coleta, Transporte, Tratamento e Disposição Final de Efluentes Líquidos, Aterros Industriais e dois Incineradores de resíduos perigosos, além dos Serviços de Monitoramento dos Recursos Hídricos Superficiais e Subterrâneos e Monitoramento do Ar.
“Como base para todo esse trabalho, a empresa conta com um laboratório qualificado, credenciado pelo INMETRO na ISO 17025 (estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade em laboratórios de ensaio e calibração). Possui certificação pela BVQI (Bureau Veritas Quality International), órgão responsável por emitir diversas certificações nas ISO 9000 (grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral) e 14000 (estabelecem diretrizes sobre a área de gestão ambiental dentro de empresas), OHSAS 18000 (guia para implementação de sistemas de gestão de segurança e higiene ocupacional) e SA 8000 (norma internacional de avaliação da responsabilidade social para empresas fornecedoras e vendedoras)”, enfatiza.
Com tecnologias voltadas para ações pró-meio ambiente, a Cetrel dispõe de plantas piloto para o teste de cada inovação. O diretor explica que, dentre as alternativas já testadas, há o sistema de nome “Variação dos Lodos Ativados”, que utiliza micro-organismos no tratamento dos efluentes. Essas pequenas espécies fazem a digestão aeróbia (em presença de oxigênio) de toda a matéria orgânica do efluente a ser tratado.
Outras duas tecnologias que também lidam com a digestão aeróbia são UASB (Reator de Fluxo Ascendente) e IC (Circulação Interna). A diferença essencial entre elas e a de Lodos Ativados está na significativa redução no consumo de energia elétrica do processo. Outro investimento da Cetrel que merece destaque é o uso de tecnologia própria para o controle de aeração dos reatores. Através desse processo, o gás oxigênio que os micro-organismos necessitam é inserido nos reatores de tratamento.

Criada pensando no meio ambiente

A Cetrel representa um investimento da ordem de US$ 250 milhões. Privatizada em 1991, atualmente 75% de suas ações pertencem às indústrias do Polo de Camaçari e 25% são de propriedade do Governo do Estado da Bahia.
A empresa possui dois programas de Educação Ambiental e de Preservação da Fauna que são operados no Parque Sauípe, uma reserva ecológica implantada para este fim no Litoral Norte da Bahia. O primeiro busca promover a educação ambiental, tendo como público principal os estudantes dos ensinos fundamental e médio das escolas públicas da Região Metropolitana de Salvador. O programa de visitas à Cetrel é a ação mais importante do Programa de Educação Ambiental.
A segunda ação, de igual importância, é o Projeto de Preservação da Fauna, que promove a conservação da diversidade biológica, prioritariamente na área de influência do Polo Industrial de Camaçari. Desde 1989, quando foi criado, o programa identificou e catalogou mais de 300 espécies de aves no entorno de Camaçari, além de mamíferos e ofídios. Nesse período, foram feitas mais de 400 mil fotografias, hoje arquivadas em meio digital e disponível para o público.
Atualmente, a sede do programa funciona no Parque Sauípe, numa área de 66 hectares pertencente ao Bioma de Mata Atlântica. Somente na área do parque, já foram catalogadas mais de 270 espécies de aves, algumas delas consideradas sob ameaça de extinção.

Prêmio Polo de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (Prêmio Polo SSMA)

Há 13 anos, o sistema de auditoria do Comitê de Fomento Industrial de Camaçari – Cofic (associação privada formada por mais de 60 empresas associadas no Polo Industrial de Camaçari e em suas áreas de influência) deu início a uma prática cujo objetivo era trocar experiências para o crescimento das empresas na gestão de Saúde, Segurança e Meio ambiente.  Posteriormente, o Conselho criava o Prêmio Polo SSMA, incentivando a concorrência nessas áreas e envolvendo empresas que se inscrevem de forma voluntária. Após o segundo ano de premiação, ficou decidido que todas as empresas associadas deveriam participar das auditorias e que as não inscritas no Prêmio Polo SSMA passariam a ser auditadas em outro momento.
O superintendente de Saúde, Segurança e Meio ambiente do Cofic, Aurinésio Calheira, explica que as auditorias contam com profissionais de larga experiência em cada área avaliada e envolvem um Guia com 1.135 perguntas e mais de 2.500 evidências que as empresas precisam apresentar. O processo de auditoria traz avaliações de itens como Liderança, Segurança de Processo, Higiene Ocupacional, Saúde, Meio Ambiente e Treinamento. “Nós desconhecemos outro processo de auditoria tão exigente quanto esse, tão atento aos detalhes de como está sendo operacionalizado cada sistema das empresas”, enfatiza Aurinésio. Ele explica, ainda, que, além do certificado, as empresas recebem um troféu, de acordo com a pontuação obtida (veja quadro). O Prêmio Polo SSMA acontece a cada dois anos e representa a busca por auxílio mútuo entre as empresas, incentivando entre elas a difusão de práticas industriais pró-ambiente.

Confira a classificação, de acordo com o número de pontos obtidos pela empresa:

4 Estrelas – supera 7.000 pontos
5 Estrelas – supera 8.000 pontos
Excelência – acima de 9.00 pontos

Cada quesito avaliado tem diferente peso de pontuação.

Na edição 2010 do Prêmio Polo SSMA, as seguintes empresas obtiveram o nível “Excelência”: Deten, Dow Aratu, Dow TDI 2008, Braskem Insumos e Braskem PE1. Nessa mesma edição, a categoria “5 Estrelas” premiou: Cetrel, Petrobras Bacam, Fafen, PVC, Braskem PE2, Braskem PE 3 e Du Pont.

Concorrentes ao prêmio 2010: Deten, Braskem Unib, Braskem PE2 e PE 3, Dow TDI e Aratu, Oxiteno, Braskem CS e PVC, Fafen, Du Pont, Petrobras Bacam, Braskem PE1, Cetrel e Bahiagás.

Detergentes “verdes”

A Deten Química S.A. é mais um exemplo. Localizada no Polo Petroquímico de Camaçari – Bahia desde o início dos anos 80, foi a primeira empresa no Brasil a levantar a questão dos detergentes biodegradáveis. Hoje, produz as substâncias Linear Alquilbenzeno (LAB) e Ácido Linear Alquilbenzeno Sulfônico (LAS), matérias-primas básicas para produção do Linear Alquilbenzeno Sulfonato, empregado na composição de detergentes líquidos e em pó compatíveis com a natureza. O coordenador de Recursos Humanos da Deten, Marcelo Gantois, explica que a empresa produz 220 mil toneladas de LAB e 80 mil toneladas de LAS, no período de um ano. “Empregamos a mais moderna tecnologia disponível para produção, de acordo com Universal Oil Products”, enfatiza.
No apoio às iniciativas ambientais, a Deten desenvolve projetos de destaque, como a “Fábrica de Florestas”, sob a coordenação do Instituto Corredor Ecológico Costa dos Coqueiros (INCECC), cuja missão é criar um caminho de Mata Atlântica no Litoral Norte da Bahia, ligando a reserva de Sapiranga ao Anel Florestal do Polo Industrial de Camaçari. A ideia é produzir mudas de árvores a um custo baixo. Só no ano passado, mais de 45 mil mudas da flora típica foram plantadas.

            
            

Faça seu comentário.

              
            
                 
                                 
 
                                                  
                                   
                                                 
 
                                 
                                   

            
        
* Todos os campos são OBRIGATÓRIOS
Mensagens de caráter pessoal serão liberadas ou não a critério deste portal. Todos os comentários são de domínio público e não são responsabilidade da ANDA. Os comentários são gravados através de número IP.
        

     

edições

ANUNCIE: (71) 3121-7967 / (71) 3288-0227

comercial@revistaprimeirapagina.com.br

Gorila Comunicação Web Rua Brigadeiro Mário Epinghaus, 33, Centro – Lauro de Freitas – BA CEP: 42.700-000
(71) 3288-0227 / (71) 3484-3565 / (71) 3121-7967 | comercial@revistaprimeirapagina.com.br | redacao@revistaprimeirapagina.com.br